ATUALIZAÇÃO IMPORTANTE!!!

Eu estou usando e recomendo o hidratante Lipikar Baume AP+ da La Roche Posay. Esse é o único hidratante que deu algum resultado positivo na minha pele. Pois aqueles específicos para ceratose, a base de ureia, nunca me serviram para nada. Esse hidratante custa caro, mas vem bastante e o rendimento é excelente. Não vivo mais sem ele! Minha pele está linda e lisinha! Super recomendo! 

Em uma consulta com um excelente dermatologista, que finalmente (e por sorte!) consegui encontrar, descobri muito sobre mim…

Descobri que a pele, que eu tenho dificuldade em aceitar desde criança, sofre de uma doença genética intratável e incurável. E agora eu preciso aprender a conviver com essa informação, do alto dos meus 26 anos.

Todo ser humano troca de pele a cada mês, sendo que algumas pessoas (eu!) formam uma nova camada de pele sem os furinhos por onde os pelos devem passar ao nascer. Assim os pelos não conseguem rompê-la e ficam enroladinhos embaixo da primeira camada de pele.

Esse problema, que eu sempre tratei como Foliculite, na verdade chama-se Ceratose Pilar. A Foliculite que possuo na realidade é uma consequência da Ceratose Pilar, sendo ela uma inflamação que ocorre em alguns desses pelos enroladinhos, gerando pequenas bolinhas vermelhas.

Para tratar disso eu já utilizei diversos cremes, pomadas, antibióticos e até fiz 6 sessões de tratamento à laser, que não deram resultado. E somente hoje eu entendi o porque. Tudo isso só iria tratar a Foliculite, mas nunca a Ceratose Pilar, e essa continuaria a provocar Foliculite, num ciclo sem fim.

E para comprovar o quadro clínico da garota aqui, a tal doença que eu possuo na pele acomete, na maioria das vezes, as pessoas que apresentam quadros alérgicos (rinite, sinusite e asma), além de ter uma relação com os hormônios e estresse emocional. Uma descrição completa da minha condição, não é mesmo?

Claro que não há tanta preocupação, pois ninguém morre de Ceratose Pilar, e tirando as insuportáveis coceiras após o banho (por causa da água quente) e eventualmente durante o dia, a doença não atrapalha em nada a rotina diária de uma pessoa.

Mas na minha opinião o maior problema é que essa doença mexe muito com a auto estima de quem a possui, pois ao utilizarmos blusas sem manga ou shorts pensamos que todas as pessoas estão contando cada bolinha vermelha ou questionando o aspecto áspero da nossa pele. Assim, ou nos escondemos atrás de tecidos, ou nos mostramos como não gostaríamos.

Contudo, como eu não quero viver para sempre com essa neurose, hoje dei o meu primeiro passo nessa terapia de auto aceitação, que foi escrever esse texto e compartilhar o meu problema com vocês, amigos e leitores.

Portanto obrigada pela colaboração nessa nova fase da minha vida.

Mari Espada.