1933720_10205379208099053_27623305447568874_o

O segundo trimestre prometia ser a melhor fase da gestação, quando os enjoos e dores do primeiro trimestre iriam sumir, eu dormiria melhor, e me sentiria mais disposta. Balela pura!

Os enjoos sumiram, mas deixaram a azia em seu lugar. A quantidade de xixi (que já era muita) conseguiu aumentar ainda mais. Começou a aparecer aquela linha vertical na barriga (por sorte ainda está clarinha). E além disso minha imunidade foi suprimida de forma impressionante. Eu tive taquicardia, placenta baixa, virose intestinal, gripe (denovo!), bronquite e a partir das 22 semanas uma absurda DOR PÉLVICA e no ciático, que provavelmente irá me acompanhar até pouco depois do parto – já que gestante não pode fazer uso de anti-inflamatórios.

Sem falar no terrorismo psicológico ocasionado pelo ZICA VIRUS, que está provocando uma epidemia de microcefalia no Brasil. Todas as grávidas estão em alerta, e no meu caso, deixei de viajar e visitar minha vó em Lins devido ao medo de ser picada pelo Aedes Aegypti. Mas no fim das contas foi até bom ter ficado em casa nessas férias coletivas FORÇADAS (grrrr!), porque precisei ir ao pronto socorro umas 4 vezes nesse período.

Não vou negar… Tantos dias doente, de repouso, sem remédio, sem distração ou diversão me fizeram entrar em parafuso! Mas ok. O importante é cuidar bem do meu bebê. <3

Mas é claro que nesse período também aconteceram muitas coisas legais. Com 17 semanas descobrimos o sexo do bebê: Quem vem aí é o ARTHUR! Mas o papai e a mamãe nem choraram, isso só aconteceu no ultrassom de 6 semanas com a mamãe e no de 11 semanas com o papai, pois eram exames que mostravam a formação genética do feto… E SAÚDE é o que a gente mais deseja para o nosso filho.

Além disso, com 16 semanas e 5 dias eu senti o Arthur MEXER pela primeira vez. A sensação foi como passar a unha no lado com ranhuras de uma pasta polionda. Mas com 19 semanas a sensação mudou, e passei a perceber o bebê se revirando dentro de mim, algo muito engraçado. E a partir as 21 semanas, sinto ele mexer o tempo todo! Inclusive, num dia que eu estava mais adrenalada, o Daniel também conseguiu sentir a força do nosso bebêzinho.

Outras coisas legais também aconteceram nesse período. Compramos os móveis e a decoração do quarto, instalamos o papel de parede, minha mãe me ajudou a fazer uma super limpeza pesada no apartamento, eu pude colorir meu cabelo com tinta sem amônia, comprei calças de gestante, e comecei a fazer HIDROGINÁSTICA e natação. E o melhor – com 20 semanas finalmente encontrei uma MÉDICA BOA para me acompanhar no pré-natal… Agora só falta visitar e escolher a maternidade (estou entre o Hospital ABC no Rudge Ramos e o Hospital Márcia Braido em São Caetano), além de fazer o curso de gestante da Amil.

Por falar em maternidade, deixo aqui um link importantíssimo, sobre visitas ao recém nascido:
http://revistacrescer.globo.com/Gravidez/Pos-parto/noticia/2015/03/visita-ao-recem-nascido-15-dicas-de-etiqueta.html

Agora estou planejando o CHÁ DE BEBÊ, que vai acontecer no início do terceiro trimestre, e será um café da tarde para reunir meus amigos e amigas… Sem muita frescura de mulherzinha, que isso não é  a minha cara! Hehehe.

Mari Espada.
(23 semanas de gestação)