[Publicado em 11/03/2017]

Acho interessante registrar aqui algumas diferenças e estranhezas entre o Brasil e a Alemanha, mais precisamente Berlim.

Afinal, após um certo tempo, tudo se torna habitual e nunca mais teremos o mesmo olhar de novidade sobre as coisas.

Por isso esse texto será editado periodicamente, sempre que eu vivenciar algo pela primeira vez.

Então vamos lá…

 

– Água: Se você for paranóico com limpeza, vai passar o dia polindo torneiras e bancadas de inox, pois o norte da Alemanha possui uma água calcária, que deixa manchas esbranquiçadas em tudo. Além disso ela destrói eletrodomésticos, resseca os cabelos e possui um gosto metálico horrível – Mas os filtros aqui conseguem resolver isso, ufa!

– Roupa de cama e travesseiros: Os edredons são individuais, mesmo que você durma em cama de casal. E eles são compostos de 2 partes, o enchimento e a capa – Que é uma especie de fronha gigante, o que torna muito trabalhoso encapar o enchimento. Detesto isso porque eles ficam sempre tortos e se embolam quando a gente se mexe demais a noite. E os travesseiros são gigantes e molengas, medem 80x80cm e parecem que vão engolir nossa cabeça. Mas a Ikea possui travesseiros de outros formatos e densidades, nada idêntico aos brasileiros, mas já ajuda.

– Ar seco: Muito seco mesmo! Logo logo completo 2 meses de Alemanha e meu nariz ainda não parou de sangrar e entupir com cascas de machucado. Mas minha irmã disse que logo meu corpo se adapta, ela passou por algo semelhante quando foi viver em Lisboa. Além disso, devido a falta de umidade, as bolachas não murcham – Pode deixar o pacote aberto sem problemas. Já os pães precisam ficar bem fechados, pois em questão de horas já ficam duros feito pedra! Uma vantagem do ar seco é a rapidez com que as roupas secam! Uma desvantagem é a estática, que faz os cabelos estalarem e arrepiarem ao serem penteados, e nos oferece vários choquinhos durante o dia – só pra ver se a gente tá esperto!

– Queijos e Sem lactose: Dá pra se perder na sessão de queijos do supermercado. E eles são baratos! E tem muitas opções sem lactose (assim como vários outros produtos)! Um paraíso!!!

– Veganismo e Orgânicos: Todos os Veganos deveriam morar aqui. Eu nem sou, e já comprei diversos produtos veganos, simplesmente porque eles são bons e baratos! Sim, baratos… Nada de cobrar mais caro por esse diferencial, como acontece no Brasil. O mesmo vale para produtos orgânicos (Bio), que estão em grande quantidade nos mercados e por preços competitivos.

– Carne: Aqui existe carne de boi sim, mas não é o comum nem há em grande quantidade. O habitual é comer frango ou porco – Inclusive a carne moída que eu compro costuma ser mista de boi e porco.

– Ciclovias: Elas estão por todas as ruas e avenidas! E as bicicletas fazem parte da cidade. Entregadores de comida, carteiros, velhotas, mães e pais com seus filhos, trabalhadores, estudantes… – Todos usam bicicleta como meio de transporte!

– Domingos: Tudo fecha! Tudo!!! Mercado, shopping, cafés, tudo fechado. Domingo é dia de ficar em casa ou fazer picnic no parque com a família.

– Bebês: Quem conhece o Arthur sabe como ele é comunicativo e carente de atenção. Ele fica sorrindo para estranhos na rua, e encara as pessoas até que elas sorriam de volta. Pois bem… Aqui são poucas pessoas que interagem com os bebês alheios. E quando o fazem é sempre de forma discreta, sem os tocar e sem estabelecer contato com o adulto responsável – Eles apenas respondem ao “hallo” do bebê e pronto! Nada de se tornar amigo íntimo da família, fazer perguntas sobre o bebê, nada!

– Embalagens: É incrível como elas são bem projetadas! Nunca abra uma embalagem sem antes olhar bem pra ela, pois certamente haverá um jeito correto de abrir, para que seja prático de servir e possibilite fechar depois. O design inteligente está presente em tudo – Até no saquinho do pão! Eu adoro isso!

– Doces: Eu não sou fã de doce muito doce. E amo um azedinho! Mas aqui eles levam isso ao pé da letra. Iogurtes são azedos, doces de limão idem, e aquela torta linda de frutas vermelhas é azeda tbm – assim como as frutas in natura. Afinal, morangos não são exatamente doces, né!

– Pizza: Sabe aquele mussarelão delicioso que serve para compactar os demais ingredientes em cima da massa de pizza? Pois bem… Aqui não tem isso não! – Na verdade mal tem queijo na pizza, e tbm não tem tomate em rodelas nem azeitonas. E catupiry ou requeijão é algo que não existe nem nas pizzas, nem no mercado. Mas há produtos parecidos sim, não se preocupe que o pãozinho do café da manhã fica delicioso!

– Tomadas: Que eficiência! A voltagem 220 (talvez 230) com alta amperagem faz os celulares recarregarem 100% da carga em menos de 1 hora!!!

– Aluguel de apartamento: Alugar apartamento é uma tarefa complicada. Os do tipo mobiliado, que visam aluguel por temporada, são mais tranquilos – E foi a solução para a nossa chegada e primeiros meses em Berlim. Porém, para alugar um apartamento vazio e por tempo indeterminado, pode exigir meses de busca. Funciona assim… Você vai na visita ao apartamento, que tem data e hora marcada. Todos os interessados vão na mesma hora e lá recebem um formulário. Quem gostar do apartamento e quiser alugar, deve preencher o formulário e enviar por email as cópias dos documentos solicitados. Com base nisso o dono do apartamento escolhe para quem ele irá alugar.

– Creches e escolas: Aqui a escola é gratuita e de qualidade, mas… Não tem vaga! Hahaha. Vou explicar… Pelo menos até 1 ano é pressuposto que o bebê fique com a mãe ou o pai – que podem se revezar para tirar licença do trabalho nesse período. Então se vc quer colocar o bebê na creche antes dele completar 1 ano, precisa apresentar milhares de justificativas ao governo. Após 1 ano, todos tem direito a creche por meio período, se vc precisar de período integral para trabalhar, terá que justificar a baixa renda familiar. Após 3 anos todos tem direito a creche por período integral. E após 6 anos inicia o ensino escolar obrigatório. Portanto, somente após os 6 anos que o governo é obrigado a subsidiar vagas suficientes nas escolas – que são todas particulares na verdade, apenas são pagas pelo governo, esse é o conceito de escola pública aqui. Bom… Isso nos leva a uma possível fila de espera de meses ou até anos para conseguir vaga para seu filho antes dos 6 anos! Sendo ainda pior antes dos 3 anos, pois a oferta é menor!

Vou deixar aqui 2 links que explicam o conceito das creches e do ensino na Alemanha, quem tiver interesse… Acho muito curiosa as diferenças do Brasil.

Diferenças entre creches no Brasil e na Alemanha

Como funciona o sistema escolar alemão

– Dado pessoais: Olha a paranóia ai!!! Os alemães tem um trauma enraizado de gerações, por causa das perseguições que ocorreram na Segunda Guerra. Então eles detestam que o Google Street View fotografe onde eles moram, eles fogem das redes sociais e eles desconfiam de qualquer site que peça para cadastrar seus dados – Sendo que estes precisam informar que os dados serão apagados após um certo tempo, e isso vale para sites de escola, de compra, ou do governo.

– Vento: Que Berlim é uma cidade fria todos já sabem. E me disseram que no verão faz um calor surpreendentemente infernal – Vamos ver! Mas ninguém fala sobre o vento… E ele é forte, principalmente nas esquinas. Já ouvi relatos de pessoas alterarem suas rotas de bicicleta para evitar o vento-contra, o que todo ciclista sabe que tem o poder de transformar planos em subidas.

– Pessoas: Vou te contar que é difícil encontrar aquele esteriótipo alemão alto e loiro, viu? – pelo menos em Berlim, que é uma cidade cheia de imigrantes. Eu também ainda não encontrei nenhum alemão que parece falar brigando, nem que de fato brigue comigo. Até agora eles foram muito prestativos e “simpáticos ao seu modo” – sempre discretos e contidos. Que bom né!

– Lava louça: Esse é um item indispensável nas casas alemãs. É como o aquecimento – todo mundo tem e ninguém sobrevive sem!

 

[Atualizado em 14/03/2017]

– Transporte público: Berlim é uma cidade grande, grande mesmo. Mas não importa onde você está e para onde quer ir, você chega em meia hora! Pois a integração entre trem, metrô e ônibus funciona e tem muitas estações em todos os bairros.

– Limpeza e pichação: Taí uma surpresa negativa! Claro que não se compara ao cheiro do Rio de Janeiro ou aos rabiscos de São Paulo. Mas diferente de Portugal (que tem cidades incrivelmente limpas), em Berlim se encontra lixo no chão e pichação nos muros.

– Cerveja e Chocolate alemães: Esse tema merece um texto a parte, devido sua amplitude de sabores e opções. Prometo que irei trabalhar nisso para um futuro próximo. Mas já adianto que é tudo muito bom! Muito bom mesmo!

– Derivados de girassol: Tudo é feito com semente ou óleo de girassol. Eles estão presentes nos pães, na manteiga, na maionese! Em tudo! E em grande quantidade, o que transforma o sabor dos produtos, e o fará amar ou odiar essa mudança. Eu, por exemplo, amo a maionese daqui, que tem um sabor mais suave e uma consistência mais leve.

– Papeis, cartas e assinaturas: Ô povo que adora um papel, viu? Nada aqui é feito online. E geralmente envolve preencher um formulário, imprimir, e enviar por correio. Às vezes junto com uma carta (sim, uma redação!) explicando sua solicitação. E para finalizar, basta assinar – Nada de autenticar, reconhecer firma, nada. Assinou, tá assinado, eles confiam.

– Formato das coisas: Tenta visualizar isso: Você vai ao mercado, compra um simples papel toalha, chega em casa e na hora de usar sente uma estranheza e nem sabe porque. O papel é muito bom, de alta qualidade apesar de ser o mais barato de todos. Então o que será? Ah sim, o formato! O rolo é ligeiramente mais alto do que os do Brasil, o papel higiênico é ligeiramente mais baixo, os canudos de bebidas ligeiramente maiores, e isso acontece com muitas outras coisas… Menos os cartões de banco, esses seguem a proporção áurea no mundo todo.

– Sol: Aqui em Berlim o astro rei é meio tímido, ele não atravessa o céu de leste a oeste como quem quer se exibir pro mundo, não… Ele prefere nascer, viver e morrer lá no canto dele, ao sul, apenas fazendo um pequeno movimento pra falar que ainda respeita a existência das coordenadas. E isso tem um impacto enorme nas residências, que se não tiver janelas voltadas exatamente para o sul, não receberão luz natural nunca! – E deve ser por isso que a vida ao ar livre é tão valorizada por aqui.

– Idioma: Ó céus! Não dá pra mudar o idioma oficial desse país não? Hehehe. Tenho planos de estudar alemão assim que conseguir uma vaga para o Arthur na creche. Mas enquanto isso, me viro com meu “inglês gaguejante” e algumas boas mimicas – Que são bem necessárias, pois não é todo mundo que fala inglês aqui não! Esquece! Isso é o maior mito que você vai ouvir sobre Berlim!

– Trabalho: Aqui vou falar pelo Daniel, já que eu não estou trabalhando no momento. E vamos considerar que vou abordar opiniões sobre uma única empresa, que pode ter hábitos e funcionários diferentes de outros locais. Mas no geral, a grande diferença que há no ambiente de trabalho alemão é a super organização das atividades, a ausência de horas extras, flexibilidade para resolver questões pessoais no horário de trabalho, uma proximidade bacana dos chefes, e 28 dias úteis de férias – E não precisa de nenhuma CLT para regulamentar isso.

– Brasileiros: Parece que os brasileiros tem boa fama por aqui. Na empresa do Daniel são 3, e tenho 3 conhecidos que vieram (ou estão vindo) do Brasil pra cá. Fora isso, no Facebook tem um grupo de “Brasileiros em Berlim” com mais de 10 mil membros. Sendo este um canal de comunicação importante e que já me ajudou muito. Então se bater a saudade de jogar conversa fora em português, temos a quem recorrer, hehehe.

 

[Atualizado em 17/06/2017]

– Pássaros: Eu adoro observar os pássaros, e aqui tem uma grande variedade de espécies diferentes das que eu via em São Bernardo. Além disso percebo que os pássaros aqui são mais briguentos, talvez seja a competição por comida da época de frio que os habituaram a tal temperamento.

– Catchup: Eu amo catchup no lanche e na batata frita. Mas aqui em Berlim eu não posso me esbaldar nesse molho delicioso, não. Pois quando vamos a uma lanchonete e até mesmo no McDonald’s, recebemos apenas 1 sachê de catchup. Só 1 por lanche. Tudo bem que é um sachê grande, que provavelmente vale por 3 dos sachês brasileiros. Mas eu preciso do dobro disso, pelo menos!

– Fumantes: São muitos, estão em todos os lugares, e a maioria não tem a mínima noção de respeito ao próximo. É bizarro! Já senti cheiro de cigarro no corredor do prédio. E já tive que me afastar do ponto de ônibus, porque tinha gente fumando na área coberta e fechada nas laterais.

– Primavera: Essa é uma época do ano muito curiosa na Alemanha. Pois com a mesma rapidez que surgem as lindas flores para colorir a paisagem a partir de Abril / Maio… Elas viram uma névoa constante pólen por toda a cidade, e dão lugar a uma paisagem verdinha a partir de Junho, com a chegada do verão.

– Área de serviço: Aqui os apartamentos não possuem esse conceito  de lavanderia. Portanto muitos colocam a máquina de lavar roupa no banheiro ou na cozinha. E o varal de piso fica em algum lugar na casa, podendo ser no meio da sala! Normal! A sorte é que devido a baixa umidade do ar, as roupas secam muito rápido.

– Lixo: Separação de lixo é coisa séria. Pela cidade e em alguns prédios tem latões de embalagens (lata, plástico, isopor, tetrapak), vidro branco, vidro marrom, vidro verde, papel e orgânico. E para descartar eletrodomésticos e móveis, é necessário contratar uma empresa específica para fazer a retirada desses produtos.

– Packstation: Os prédios aqui não tem portaria. E muitas pessoas não gostam de depender da boa vontade do vizinho para receber suas encomendas. Então existe um sistema interessante composto por armários instalados em local público (calçada, praça, posto de gasolina, etc), onde a transportadora pode colocar sua encomenda, e você recebe uma senha por email para abrir o armário e pegar sua compra. E o povo recebe de tudo nessas packstations, já vi gente pegando uma TV e levando pra casa. Bem legal! Mas só funciona porque aqui tem segurança nas ruas… Senão, vixe!

 

E se você tiver curiosidade sobre algo específico, deixe sua pergunta nos comentários!