Viver em um lugar não é passar férias. Nossas experiências estão primeiramente nas tarefas do dia a dia, e não em visitas aos pontos turísticos. E não podemos adiar as atividades para “quando voltarmos pra casa”, porque nossa casa é aqui e agora.

Sendo assim, após 2 meses de vida berlinense, precisei me aventurar num cabeleireiro para retocar o ruivo e fazer um corte básico. Para isso, eu poderia ter procurado um salão com alguém que falasse inglês, ou um cabeleireiro brasileiro que estivesse perdido por essas terras frias. Mas eu tenho um bebê que não me deixa ir muito longe… Então escolhi um salão aqui no bairro mesmo.

Mas como eu não sou boba nem nada, primeiro deixei meu marido testar o atendimento do salão e sondar a eficiência da nossa comunicação. Então ele foi cortar o cabelo num sábado, e – após sua aprovação – eu fui no sábado seguinte. Marquei ambos os horários através do site Treatwell com ajuda do Google tradutor (não vivo sem ele) e ainda ganhei um descontinho (recomendo!).

Chegando lá o cabeleireiro foi super atencioso, mas ele falava inglês muito mal. E o outro nem sequer entendia a língua. Pois é gente, a história de que aqui todo mundo fala inglês é lenda! Mas eu me virei bem e o resultado final foi exatamente o que eu desejava. Claro que durante o processo rolou “aquele frio na barriga”, principalmente quando os dois cabeleireiros começavam a conversar em alemão com a tabela de cores de cabelo na mão! Mas se tem uma coisa que a maternidade me ensinou, foi que não dá pra ter o controle de tudo – e tudo bem! Então sobrevivi à essa experiência e estou pronta pras próximas… 😉

Fora isso, o ambiente do salão é igualzinho aos do Brasil. Bonitinho, bem decorado, com os produtos expostos ao cliente. Porém sem nenhum funcionário além dos cabeleireiros! Nada de recepcionista, faxineira, copeira… Nada! E na real, pra que tudo isso, né? Acho bacana a simplicidade e independência com que as coisas são tratadas aqui. Pode ser estranho no início, mas rapidamente passa a fazer todo o sentido.

Ah, e cabeleireiro em alemão é friseur – mais fácil do que em português!!! 🙂

Mari, ainda ruiva (ufa!).