Hoje completa 1 semana que o meu gatinho desmamou, na véspera de seu primeiro aniversário. E para me despedir dessa importante fase de total entrega, compartilho aqui minhas fotos preferidas da amamentação, ainda na maternidade.

PicsArt_04-27-06.07.38

Eu já falei anteriormente no blog sobre o sucesso e a dificuldade da amamentação para nós – veja aqui. Por isso eu optei por conduzir um desmame gradual, sempre observando e respeitando o tempo dele e o meu.

No início da introdução alimentar, eu ainda dava mamá após as refeições. Mas com o tempo, o Arthur foi se alimentando melhor e esse mamá foi substituído por água ou suco. Dessa forma, a rotina de almoçar ao meio dia, comer fruta às 15hs e jantar às 18hs excluiu automaticamente o mamá da tarde.

Já aos 11 meses eu conduzi a retirada do mamá da manhã, ao acordar, visando facilitar sua ida para a creche – o que com sorte ocorrerá em breve. E não houve nenhuma resistência do Arthur, que aceitou a mamadeira já com leitinho de vaca – conforme indicado pelo pediatra.

Depois que ele se acostumou com isso, foi a hora de retirar o mamá da noite, pois meu peito já não estava produzindo tanto leite e ele passou a acordar mais vezes na madrugada por causa de fome. E por último retirei o mamá da madrugada. Em ambos os casos ele aceitou tranquilamente a mamadeira, porém ainda precisa ser ninado para dormir, já que não pega no sono sozinho – como ocorria ao mamar no peito.

Mas isso está sendo bom, pois aos poucos ele também está aprendendo a dormir sozinho. Pois o tenho ninado somente até ele se acalmar – porque ele está muito pesado. E então coloco ele no berço ainda acordado, e se ele chora, recomeço o processo – quantas vezes forem necessárias. E estamos evoluindo bem!

Engraçado que o desmame da madrugada – e na verdade o desmame completo – ocorreu por ação do próprio Arthur. Pois eu não pretendia fazê-lo antes de nossa mudança para o novo apartamento. Mas após nossa viagem à Portugal, ele estava tão cansado que dormiu a noite inteira e não mamou de madrugada. Na noite seguinte também, devido ao cansaço do seu agitado dia de aniversário. Então na terceira noite ele acordou, mas eu não consegui produzir leite algum e ele desistiu… Foi quando eu dei a mamadeira e ele aceitou feliz. E pronto!

Arthur mamou até 1 ano – que era mesmo a minha meta inicial. E durante o desmame gradual, em momento algum ele buscou meu peito para se alimentar. Eu não precisei me afastar dele para que ele aceitasse a mamadeira. E eu não tive nenhum empedramento – que era o meu maior medo, devido ao meu histórico. Portanto isso me indicou que eu estava no caminho certo e no momento ideal para ele e para mim.

Sucesso total. Que bom! 🙂

Mari.